fbpx
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR

Obrigado

Enviado com sucesso. O seu ebook vai a caminho

Íris Seixas
Escrito por:

Iris Seixas Psicopedagoga, Colaboradora do Banco do bebé

Depressão pós-parto: dicas para manter a serenidade e prevenir o baby blues

Durante o processo de parentalidade, seja logo que o bebé nasce, seja alguns meses depois, com o regresso ao trabalho, é normal que os pais e principalmente a mãe se sinta cansada.

Não é fácil manter a calma quando temos um bebé em casa, quando vemos as tarefas domésticas acumularem-se, possivelmente já regressámos ao trabalho e muitas vezes ainda contamos com outras crianças em casa com algum nível de dependência.

Alguns sinais e causas:

Como mães sentimos que alguma coisa nos está a escapar, que não conseguimos controlar tudo, sentimo-nos esgotadas, irritadas com tudo e deixamos de ter energia (ou paciência) para quem está lá em casa e principalmente para o bebé que mais precisa da nossa disponibilidade, atenção e mimos para desenvolver uma vinculação forte e segura connosco.

Ouvimos sempre dizer que depois dos filhos a vida nunca mais é a mesma e que deixamos de poder fazer tudo como fazíamos antes e acabamos por constatar que é verdade.

Claro que há diferentes formas de parentalidade, desde a mais regrada à mais descontraída, mas a existência de algumas mudanças na vida da família pré-existente parece ser óbvia.

Por outro lado, pouco tempo após o nascimento a mãe ficará sozinha com o bebé durante grande parte do dia.

Esta situação aumenta o risco de depressão pós-parto.

O mesmo acontece no caso das mães solteiras, pelo que é muito importante encontrar formas de ultrapassar esta fase que pode ser exaustiva e difícil para algumas famílias.

Assim sendo, como é que podemos manter o foco e a serenidade nestes tempos tão agitados, principalmente sabendo que o tempo vai passar demasiado rápido, o bebé vai crescer num instante e quando dermos por isso temos a sensação que não aproveitámos nada?

Como aliviar o stress e evitar a depressão pós-parto

Os pontos seguintes são estratégias que podem ajudar a ultrapassar os momentos mais stressantes.

  • Aproveitar as sestas do bebé – é a regra chave, principalmente nos primeiros tempos do bebé em casa, pois as noites ainda são mal dormidas. É importante esquecer as tarefas domésticas e optar por descansar e até dormir, nos momentos em que o bebé também está a dormir.
  • Cuidar de si mesma – por vezes não temos com quem deixar o nosso bebé por umas poucas horas, mas outras vezes temos muita dificuldade em estar longe dele, no entanto é importante perceber que se estivermos cansadas e esgotadas também não tiramos o melhor partido dos momentos em que temos que cuidar dele. Por isso se tiver oportunidade de o deixar com o pai, avós, ou outra pessoa de confiança saia por 1h ou 2h… ir ao cabeleireiro, manicure, ginásio, ler um livro no parque. No regresso as saudades serão grandes mas a disposição renovada.
  • Pedir ajuda – não hesite em pedir ajuda se precisar de alguém que apoie a fazer refeições, algumas tarefas domésticas, ou tomar conta do bebé se precisar de descansar. Sobretudo não se isole e se tiver amigas em circunstâncias parecidas apoiem-se mutuamente.
  • Fazer exercício e preferencialmente fora de casa – mesmo que não tenha onde ou com quem deixar o bebé, faça uma caminhada com ele no carrinho ou no marsúpio. Permite exercitar-se e também arejar e descontrair, o que é excelente para a saúde emocional de ambos.
  • Estabelecer algumas rotinas – os bebés funcionam melhor com rotinas diárias e habituais e para a família é melhor ter alguns momentos já definidos porque ajuda a encaixar os planos extra naquilo que já está programado. Priorizar o que é realmente importante e “deixar cair” aquilo que não tem que ser feito naquele momento.
  • Gerir prioridades – mesmo que alguma louça fique suja, ou a casa não esteja tão arrumada como gostaríamos que estivesse se no final do dia sentirmos que o dia foi aproveitado da melhor forma e que a família passou um dia feliz… O que é que realmente importa?
  • Dizer não – quando a vida já está tão confusa e preenchida por vezes é importante dizer que não a novas solicitações. Pergunte-se se quer assumir aquele compromisso e pense de que forma ele vai afectar as suas rotinas actuais. Isto é válido também para o excesso de visitas que se recebem logo após o bebé ir para casa.
  • Ver o lado bom de algumas rotinas – os cuidados ao bebé podem ser muito rotineiros, mas por vezes estamos a esquecer o lado benéfico e prazeroso de dar um banho ao bebé e fazer deste um momento lúdico para ambos através do toque, da sensação agradável de estar dentro de água, ou mesmo utilizando alguns brinquedos quando o bebé é mais crescido.
  • Perceber que não somos infalíveis – não partir do pressuposto que vamos conseguir fazer tudo num dia e sermos pais perfeitos, mas sim pensar que na parentalidade fazemos o melhor possível e que isso inclui os erros e as consequentes aprendizagens.

E sobretudo…

Confiar nos instintos, seguir o coração, ler os sinais do bebé!

Partilhar