fbpx
Vanda Santos Ferreira
Escrito por:

Vanda Santos Ferreira Enfermeira, Especialista em Saúde Infantil | Colaboradora do Banco do Bebé

A amamentação no regresso ao trabalho

Após o nascimento de um filho, o regresso ao trabalho, para a grande parte das mulheres é o primeiro momento de separação e que muitas das vezes é doloroso.

Seja a licença parental gozada de 5 meses, 6 meses ou mais (licença esta possível em determinados casos), quando ainda se amamenta em exclusivo e se quer continuar, torna-se então um desafio ainda maior.

Um desafio a nível físico, emocional, logístico, organizacional.

Mas é aqui que o sentido prático de ser mãe, mulher e profissional se põe à prova.

Hoje é deste sentido prático que vamos falar, pois para tudo tem de haver um princípio e algum dia tínhamos de voltar ao trabalho, pois o mundo não para de girar…

Ninguém melhor do que nós próprias para saber quais as condições que o local de trabalho oferece para conseguir adaptar estas sugestões.

Manter uma boa alimentação, levar algo para comer a meio da manhã e a meio da tarde, nunca esquecendo de beber água ao longo do dia (1,5 a 2 litros), é fundamental para manter a quantidade e qualidade do leite materno.

Para extrair o leite materno é necessário:
  • uma bomba extratora de leite, manual ou elétrica (esta é mais rápida);
  • uma bolsa térmica com placas de gelo, para o transporte e/ou conservação ao longo do dia, caso o local de trabalho não tenha frigorifico;
  • um pano de loiça limpo ou uma fralda de pano ou resguardo descartável para colocar/pousar todo o material quando está a extrair o leite;
  • frascos ou sacos próprios para a conservação do leite materno.

Antes de iniciar a preparação do material e a extração do leite, deve sempre lavar as mãos.

Sei que nem todos os locais e horários de trabalho facilitam a extração do leite materno, mas cabe a cada uma repensar o seu dia de trabalho e encontrar qual o melhor local e horário para o fazer.

Extração do leite materno – TPC

Para manter o aleitamento materno é importante criar algumas rotinas, visto que vai estar longe do seu bebé 5 ou mais horas.

Por isso, antes de sair de casa deve oferecer a mama, para que seja apenas necessário fazer 2 extrações de leite enquanto está fora de casa. 1 extração a meio da manhã e outra logo após a hora do almoço.

Quando chega a casa pode iniciar a rotina do seu bebé e dar de mamar todas as vezes que este quiser, quer o seu bebé faça aleitamento materno exclusivo ou não.

Quando o seu bebé faz aleitamento materno exclusivo, terá de deixar pelo menos 2 a 3 refeições de leite materno para que quem fique com ele, possa dar por biberão na sua ausência.

As quantidades são muito variáveis, por isso antes de voltar ao trabalho, deve experimentar extrair algumas vezes, para acumular leite.

Deve também fazer uma tentativa de lhe dar algumas vezes por biberão, para deixar a quantidade mais ou menos necessária.

Para conservar o leite materno em casa, logo que o extrair deve congelar, se não for utilizar nas próximas 24h.

Quando necessitar do leite materno num prazo de 24h, após a extração, deve conservar apenas no frigorífico.

Lembre-se sempre de colocar a data e hora, em que extrai o leite, no frasco ou saco, para poder controlar a sua validade.

Para aquecer o leite materno, deve ser sempre em banho-maria ou num aquecedor de biberões, NUNCA no micro-ondas.

No próximo mês falarei da conservação do leite materno por forma a poder manter a amamentação durante mais tempo de uma forma segura, se assim o desejar…

Como vos escrevi antes, o momento de voltar ao trabalho é mais um desafio a ultrapassar. Poder continuar a amamentar em exclusivo, ou não, dá uma confiança, uma razão, um estímulo a continuar, um sentido na aprendizagem de ser mãe, diminuindo a ansiedade da separação entre mãe e filho.