fbpx
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR

Obrigado

Enviado com sucesso. O seu ebook vai a caminho

Carlos Daniel Santos
Escrito por:

Carlos Daniel Santos Mestre em Medicina, Licenciado em Saúde Ambiental e em Radiologia e investigador na área de Saúde da Mulher

MSD Portugal
Com o apoio de:

MSD INVENTING FOR LIFE

Vacinação pneumocócica: o que é e o que previne?

Descobre o que é a vacinação pneumocócica e como ajuda a prevenir doenças como a otite, a pneumonia, a meningite e a sepsis.

O Streptococcus pneumoniae é uma bactéria que pode provocar várias doenças. Para as prevenir, existem duas vacinas disponíveis: a Pn13 e a Pn23. Descobre as características de cada uma e como proteger a tua família.

O que é a vacinação pneumocócica?

A vacina polissacárida conjugada de 13 valências (Pn13) e a vacina polissacárida de 23 valências (Pn23), previnem doenças como a pneumonia, a meningite, a otite média aguda e a septicemia, infeções causadas por uma bactéria denominada Streptococcus pneumoniae.

No âmbito do Programa Nacional de Vacinação, a Pn13 é gratuita para todas as crianças nascidas desde 1 de janeiro de 2015. Já a Pn23, é grátis para crianças com asplenia anatómica e funcional, candidatas a transplante medular ou de órgãos sólidos, e crianças com défice do complemento.

Além das crianças, a vacina também é gratuita para os adultos com doenças crónicas e considerados de alto risco, nomeadamente os portadores do vírus da imunodeficiência humana (VIH) e de certas doenças pulmonares obstrutivas, além do cancro do pulmão. A vacina pneumocócica conjugada está indicada para todas as faixas etárias.

Quais os sintomas das doenças provocadas pela Streptococcus pneumoniae?

Em todo o mundo, as infeções provocadas pela Streptococcus pneumoniae são frequentes em idade pediátrica, principalmente abaixo dos 2 anos de idade. A sua prevalência é alavancada pelo aumento de estirpes bacterianas resistentes: já são conhecidos 91 serotipos da Streptococcus pneumoniae, que possuem diferenças na transmissão, virulência, colonização, idade, sintomas, resistências aos antimicrobianos e a distribuição geográfica. No entanto, apenas 12 a 15 serotipos causam a maioria dos casos de doença nas crianças.

O reservatório da bactéria Streptococcus pneumoniae é a nasofaringe humana, sendo os portadores a principal fonte de transmissão, pelo que as medidas de higiene e proteção respiratória são extremamente necessárias para evitar a propagação.

Estes são os principais sintomas:

  • Pneumonia: febre, tosse, dificuldade respiratória, aumento da frequência das respirações, dores de cabeça, dor abdominal ou vómitos
  • Meningite: dor de cabeça, febre alta, rigidez da nuca, irritabilidade ou prostração, vómitos, sensibilidade à luz.
  • Otite média aguda: dor no ouvido, febre, choro, irritabilidade, recusa alimentar, sonolência, vómitos e diarreia. Algumas crianças poderão também apontar ou bater nos ouvidos.
  • Septicemia: febre, calafrios, confusão mental, aumento da frequência das respirações, aumento da frequência cardíaca, manchas na pele.

As características da vacina Pn13

A vacina Pn13 é recomendada a partir das 6 semanas e abaixo dos 5 anos de idade. Pode ser administrada acima dos 5 anos, se houver imunodeficiência – leucemia, linfoma, transplantes, infeção por HIV e toma de fármacos imunossupressores.

Precauções

Devem ser tidas em conta as seguintes precauções, antes da administração da vacina:

  • Em caso de doença aguda grave, com ou sem febre, aguardar por recuperação completa para vacinação
  • Em caso de reações alérgicas anteriores a algum dos componentes da vacina, a criança deve ser referenciada a consulta de Imunoalergologia para investigação
  • Consultar o médico assistente antes de administrar a vacina, caso existam doenças da coagulação
  • Nos recém-nascidos pré-termo com idade gestacional inferior a 28 semanas, a vacina deve ser realizada no hospital

Reações adversas

As reações adversas mais frequentes são febre, dores de cabeça, cansaço e irritabilidade. As recções graves são raras.

Dose e via de administração

A dose da vacina é de 0,5 mL, injetada por via intramuscular (ou via subcutânea, em pessoas com alterações da coagulação). O local de injeção depende da idade:

•          Idade inferior a 12 meses: coxa direita

•          Idade superior a 12 meses: braço direito

A vacina Pn13 não deve ser administrada, por via intramuscular, a indivíduos com baixo nível de plaquetas ou qualquer alteração da coagulação. Mas pode ser administrada por via subcutânea se os potenciais benefícios superarem claramente os riscos.

As características da vacina Pn23

A vacina Pn23 é recomendada para pessoas com ou mais de 2 anos de idade, se houver imunodeficiência: leucemia, linfoma, transplantes, infeção por HIV e toma de fármacos imunossupressores.

Precauções

Devem ser tidas em conta as seguintes precauções, antes da administração da vacina:

  • Em caso de doença aguda grave, com ou sem febre, aguardar por recuperação completa para vacinação
  • Em caso de reações alérgicas anteriores a algum dos componentes da vacina, a criança deve ser referenciada a consulta de Imunoalergologia para investigação
  • Consultar o médico assistente antes de administrar a vacina, caso existam doenças da coagulação
  • Nos recém-nascidos pré-termo com idade gestacional inferior a 28 semanas, a vacina deve ser realizada no hospital

Reações adversas

Estas são as reações adversas mais comuns:

  • Locais: dor, aumento da sensibilidade, vermelhidão, inchaço e endurecimento local
  • Gerais: febre, cansaço, dores musculares e dores de cabeça

As reações graves são raras.

Dose e via de administração

A dose da vacina é de 0,5 mL, por via intramuscular (ou via subcutânea), normalmente no braço direito.

As vacinas anti-pneumocócicas são uma excelente ferramenta de prevenção A vacinação anti-pneumocócica é considerada a principal forma de proteção da população pediátrica para a doença pneumocócica.

Assim, é extremamente importante que os pais e os profissionais de saúde responsáveis pelo seguimento das crianças, conheçam e promovam a vacinação, através de recomendações clínicas e ações de sensibilização.

O conteúdo aqui apresentado é da exclusiva autoria e responsabilidade do seu autor, não tendo a MSD qualquer controlo sobre o mesmo.

Partilhar