fbpx
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR

Obrigado

Enviado com sucesso. O seu ebook vai a caminho

Carlos Daniel Santos
Escrito por:

Carlos Daniel Santos Mestre em Medicina, Licenciado em Saúde Ambiental e em Radiologia e investigador na área de Saúde da Mulher

MSD Portugal
Com o apoio de:

MSD INVENTING FOR LIFE

Vacina conjugada contra os meningococos A, C, Y e W135

A Neisseria meningitidis é uma bactéria responsável pela doença meningocócica invasiva, que pode provocar septicemia e/ou meningite. Esta doença surge por ciclos, geralmente nos primeiros meses do ano, podendo apresentar-se em casos isolados, surtos localizados ou epidemia. Descubra as características da doença e tudo sobre a vacina.

O que é a meningite?

A meningite é uma doença transmissível causada pelo processo inflamatório das meninges (membranas que revestem o cérebro e a medula espinal), causado por diversos microrganismos, como bactérias, vírus, fungos e parasitas.

Com o passar dos anos, a meningite bacteriana tornou-se uma doença incomum nos países mais desenvolvidos. No entanto, a taxa de incidência registadas em Portugal em 2016 foi de 0,41 casos por 100 mil habitantes, o que significa que a doença ainda está presente no nosso país e deve ser encarada com seriedade e preocupação, devido às consequências graves que pode provocar.

A bactéria responsável pela maioria dos casos de meningite bacteriana é a Neisseria meningitidis, cujos serogrupos mais importantes são o A, o B e o C e ainda o W135, o X, o Y e o Z. Entre 2007 e 2016, as estirpes do grupo B têm sido sempre as mais predominantes, vindo o seu número a decrescer, devido à introdução da vacina MenB no Programa nacional de Vacinação.

Desde 2011, até 2016, que o grupo Y é o segundo mais frequente de entre os serogrupos da Neisseria meningitidis, sendo responsável pela morte de um adolescente de 15 anos entre os anos de 2007 e 2016.

Quais os sintomas da meningite provocada pelos meningococos A, C, Y e W135?

Os sintomas da meningite causada pelos meningococos dos serogrupos A, C, Y e W135, são semelhantes aos de outras meningites.

Primeiros sinais e sintomas (surgem 3 a 7 dias após a exposição):

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Torcicolo

Outros sinais e sintomas associados:

  • Náusea
  • Vómito
  • Fotofobia (sensibilidade à luz)
  • Confusão mental

Em recém-nascidos e crianças mais pequenas, os sintomas clássicos poderão não estar presentes, pelo que é necessário estar atento aos seguintes sinais:

  • Lentidão ou inatividade
  • Irritabilidade
  • Vómito
  • Recusa alimentar

Sendo a meningite bacteriana uma emergência médica, se detetar algum destes sintomas, deve de imediato recorrer a ajuda médica.

Como se transmite?

O contacto direto com gotículas e secreções provenientes da boca e nariz é o único meio de transmissão, pois a bactéria é pouco resistente fora do organismo humano. O reflexo da tosse, os espirros, os beijos e a proximidade física potenciam a transmissão da Neisseria meningitidis, pelo que caso exista suspeita ou confirmação de alguém contaminado, deve evitar ao máximo o contacto e proximidade físico.

Como o reservatório do meningococo é a orofaringe, o contágio deixa de existir quando as bactérias desaparecem deste local, o que acontece cerca de 24 horas após o início do tratamento.

Qual o tratamento para a meningite meningocócica dos serogrupos A, C, Y e W135?

A meningite bacteriana é uma emergência médica e como tal, o internamento hospital é necessário, não só para uma melhor monitorização do estado clínico, mas também para a administração de anti-inflamatórios mais potentes e antibióticos direcionados para Neisseria meningitidis dos serogrupos A, C, Y e W135.

O antibiótico de primeira linha chama-se Rifampicina (via oral), sendo que podem ser administrados outros como o Ceftriaxone (via intramuscular) e a Ciprofloxacina (via oral).

Características da vacina

A vacina é recomendada para pessoas com idade igual ou superior a 6 meses de vida incluídas em grupos de risco, tal como imunodeficiência: leucemia, linfoma, transplantes, infeção por HIV e toma de fármacos imunossupressores. Não tem contraindicações, mas existem várias precauções a considerar.

Precauções

Devem ser tidas em conta as seguintes precauções, antes da administração da vacina:

  • Em caso de doença aguda grave, com ou sem febre, aguardar por recuperação completa para vacinação
  • Em caso de reações alérgicas anteriores a algum dos componentes da vacina, a criança deve ser referenciada a consulta de Imunoalergologia para investigação

Consulte o médico assistente antes de administrar a vacina, caso existam doenças da coagulação.

Reações adversas

Entre as reações adversas mais comuns, destacam-se:

  • Nas primeiras 24 horas: dor, vermelhidão, inchaço
  • Gerais: irritabilidade, cansaço, febre, mal-estar geral, arrepios, náuseas, vómitos, sonolência, dores musculares e articulares

As reações graves são raras.

Dose e via de administração

A dose da vacina de 0.5 mL, injetada por via intramuscular. O local de injeção depende da idade:

  • Idade menor que 12 meses: coxa esquerda
  • Idade maior que 12 meses: braço esquerdo

A vacina contra a doença invasiva é uma excelente ferramenta de prevenção da meningite meningocócica.

A vacinação contra a doença invasiva por Neisseria meningitidis A, C, Y e W135, veio demonstrar uma reduzida taxa de incidência da meningite meningocócica. Os resultados reforçam a necessidade do cumprimento do calendário vacinal, sendo esta uma das bases mais importantes na prevenção e controlo da doença.

O conteúdo aqui apresentado é da exclusiva autoria e responsabilidade do seu autor, não tendo a MSD qualquer controlo sobre o mesmo.

Partilhar