fbpx
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR
NOME
E-MAIL
SEMANA DE GRAVIDEZ
X FECHAR

Obrigado

Enviado com sucesso. O seu ebook vai a caminho

Carlos Daniel Santos
Escrito por:

Carlos Daniel Santos Mestre em Medicina, Licenciado em Saúde Ambiental e em Radiologia e investigador na área de Saúde da Mulher

MSD Portugal
Com o apoio de:

MSD INVENTING FOR LIFE

Meningite: o que é, quais os sintomas e como prevenir?

O que é esta doença? Tem cura? Descubra a resposta a estas e outras questões sobre a meningite.

Febres elevadas, dor de cabeça insuportável e rigidez nas articulações. Estes são alguns dos sintomas da meningite, doença que infeta 1.2 milhões de pessoas a cada ano e com um período de incubação rápido, de cerca de 4 dias. Descubra tudo sobre esta doença, os seus sintomas e as sequelas.

O que é a meningite?

A meningite é uma doença transmissível causada pela inflamação das meninges, membranas que revestem o cérebro e a medula espinal. É causada por diversos microrganismos, como bactérias, vírus, fungos e parasitas, e muitas vezes, não é possível identificar o microrganismo responsável pelo processo inflamatório. Quando isto acontece, a doença é designada de meningite asséptica.

A gravidade clínica da meningite depende do microrganismo. Pode ser benigna e autolimitada, em casos simples, mas também fatal com morbilidade potencialmente grave.

A meningite bacteriana tornou-se uma doença incomum nos países mais desenvolvidos. No entanto, devido às condições socioeconómicas desfavoráveis, muitos países em desenvolvimento ainda são afetados de forma devastadora por esta infeção. Principalmente nestes países, a mortalidade permanece elevada, em cerca de 10% dos infetados, pois a política de administração de vacinas contra agentes patogénicos responsáveis pela meningite não é suficiente para que se reduza a incidência.

Os vários tipos de meningite

A meningite pode ser causada por vários microrganismos, nomeadamente, bactérias, vírus, fungos e parasitas.

Dependendo do agente que causa a meningite, os sinais e sintomas podem ser diferentes, bem como o tratamento e o prognóstico.

Meningite bacteriana

Geralmente, os primeiros sinais e sintomas da meningite bacteriana surgem 3 a 7 dias após a exposição e são:

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Torcicolo

Podendo existir outros sinais e sintomas associados, tais como:

  • Náusea
  • Vómito
  • Fotofobia (sensibilidade à luz)
  • Confusão mental

Em recém-nascidos e crianças mais pequenas, os sintomas clássicos referidos acima poderão não ser percetíveis ou poderão mesmo não estar presentes.  Assim, é preciso estar atento aos seguintes sinais:

  • Lentidão ou inatividade
  • Irritabilidade
  • Vómito
  • Recusa alimentar

A meningite bacteriana é uma emergência médica, pelo que, caso detete alguns destes sinais, deve consultar um médico o mais rápido possível.

O internamento é necessário, não só para uma melhor monitorização do estado clínico, mas também para a administração de anti-inflamatórios mais potentes e antibióticos direcionados para o agente causador da meningite.

Meningite viral

Os sintomas mais comuns da meningite viral em crianças em idade pré-escolar e bebés são:

  • Febre
  • Irritabilidade
  • Recusa alimentar
  • Sonolência ou dificuldade em acordar do sono
  • Falta de energia

Em crianças de idade escolar:

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Torcicolo
  • Fotofobia (sensibilidade à luz)
  • Sonolência ou dificuldade em acordar do sono
  • Náusea
  • Irritabilidade
  • Vómito
  • Falta de apetite
  • Falta de energia

Os sintomas da meningite virtal podem perdurar até 7-10 dias, sendo que na maioria dos casos a doença é autolimitada, o que quer dizer que o tratamento muitas vezes não é necessário.

Na maioria dos casos, este tipo de meningite tem um curso benigno é carece apenas de terapêutica para controlar os sintomas, como analgésicos (paracetamol) e hidratação. No entanto, caso se manifestem sintomas graves, como vómitos, dores de cabeça intensas, poderá ser necessário o internamento para melhor controlo da hidratação e da analgesia.

Meningite fúngica e parasítica

Os principais sintomas deste tipo de meningite são os seguintes.

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Torcicolo
  • Náusea e vómito
  • Fotofobia (sensibilidade à luz)
  • Confusão

Na meningite fúngica, caso serão necessários antifúngicos em altas doses, inicialmente administrados por via intravenosa e depois por via oral. Na meningite parasítica, não existe um tratamento específico, sendo que podem ser utilizados fármacos analgésicos e outros que diminuam a resposta do organismo ao parasita.

Como é feito o diagnóstico da meningite?

Na maioria dos casos de meningite, quando na observação médica inicial, são efetuados testes específicos não invasivos, que se baseiam na movimentação da nuca e das pernas. Em caso de meningite, existem três sinais clássicos: rigidez da nuca, sinal de Kernig e sinal de Brudzinski.

Para confirmação do diagnóstico ou para complementar a informação clínica, o médico pode pedir análises sanguíneas e realizar uma punção lombar. Através da análise dos parâmetros analíticos do líquido cefalorraquidiano colhido na punção lombar, o médico pode determinar o diagnóstico definitivo de meningite

Como prevenir a meningite

Existem várias formas de prevenir a meningite, principalmente importantes para quem vai viajar para países de risco.

Meningite bacteriana

As vacinas são a forma mais eficaz de proteção contra certos tipos de meningite bacteriana. Existem vacinas para 3 tipos de bactérias que podem causar meningite:

  • Meningocócica para proteger contra N. meningitidis
  • pneumocócicas ajudam a proteger contra S. pneumoniae
  • Haemophilus Influenzae tipo b (Hib) ajudam a proteger contra o Hib

É importante saber que, apesar de existir a vacina, a pessoa pode ainda ser infetada por uma das bactérias que causam meningite, pois a eficácia da vacina não é de 100%.  E se assim for, deve ser evitado o contato próximo com a pessoa infetada.

Meningite viral

A melhor maneira de proteger os seus filhos e a si é tomar medidas profiláticas, pois não existe vacina para os vírus que causam a meningite. Deixamos as seguintes recomendações:

  • Lavar as mãos com água e sabão durante pelo menos 20 segundos, especialmente depois de trocar fraldas ou usar a casa de banho.
  • Evitar o contato próximo com pessoas que estão doentes.
  • Limpar e desinfetar as superfícies com frequência.
  • Fique em casa quando estiver doente e mantenha as crianças doentes fora da escola.
  • Certifique-se que o seu filho cumpriu o Plano Nacional de Vacinação.

Meningite fúngica

Não existe nenhuma medida em particular para que prevenir este tipo de meningite, no entanto, crianças imunocomprometidas devem evitar situações que possam eventualmente provocar infeções fúngicas, por exemplo, evitar exposição a poeiras e partículas.

Quais são as sequelas da meningite

A meningite bacteriana geralmente é grave e pode causar complicações graves, como danos cerebrais, perda de audição ou dificuldades de aprendizagem. Nalguns casos, a meningite bacteriana pode levar a uma infeção sistémica, denominada de sépsis, que sem o tratamento adequado pode levar rapidamente a danos nos tecidos, falência de órgãos e até à morte.

Tanto a meningite viral, fúngica e parasítica, geralmente menos graves, poderão levar a sequelas neurológicas, caso não sejam tratadas adequadamente.

Conclusão: a meningite continua a afligir a população mundial

A meningite é uma inflamação das membranas (meninges) que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Os primeiros sintomas podem ser semelhantes aos da gripe, e desenvolvem-se ao longo de várias horas ou alguns dias.

As infeções virais são a causa mais comum seguidas das bacterianas, fúngicas e parasitárias. Como a vacinação não é totalmente eficaz, proteja-se e à sua família, seguindo as recomendações de saúde pública.

O conteúdo aqui apresentado é da exclusiva autoria e responsabilidade do seu autor, não tendo a MSD qualquer controlo sobre o mesmo.

Partilhar